in

Crise no Flamengo? Clube toma decisão que ninguém esperava: ‘para ganhar fôlego’

A crise por conta da pandemia do coronavírus tem impactado a vida financeira de todos os clubes. Dono da maior receita do país e responsável por arrecadações milionárias, o Flamengo já encontra dificuldades para honrar com os seus compromissos. Após atrasar a parcela da compra do zagueiro Léo Pereira junto ao Athletico, o time da Gávea resolveu ir em busca de uma linha de crédito para evitar problemas maiores no futuro.

Publicidade

De acordo com informações do jornalista Gustavo Henrique e do jornal “O Globo”, o Fla recorrerá a um empréstimo bancário de R$ 40 milhões, para manter o seu fluxo de caixa, e não esbarrar em problemas financeiros durante o tempo de pandemia. Nos bastidores, o clube encara a manobra como normal.

Motivações do empréstimo

A paralisação do futebol acarretou em uma sequência de fatores negativos para o fluxo de caixa do Flamengo. Além do prejuízo com a ausência de jogos que impacta diretamente no faturamento por bilheteria e o programa sócio-torcedor, o clube ainda viu a Adidas não depositar uma das parcelas semestrais do acordo de patrocínio. As cifras da fornecedora de material esportivo seriam de R$ 8,8 milhões.

Publicidade

Não bastasse tudo isso, a Azeite Royal que estampava sua marca no calção do clube pediu a rescisão contratual por conta da crise.

Publicidade

Mesmo sendo protagonista no futebol nacional no quesito arrecadação e mercado da bola, o clube da Gávea optou por tal decisão para não “colapsar” economicamente.

Publicidade

Férias estendidas

Sem jogar desde o dia 14 de março, quando superou a Portuguesa-RJ, o Flamengo optou por seguir a linha de outros clubes da elite e estendeu as férias coletivas dos jogadores até o dia 30 de abril, prazo este que ainda pode ser prorrogado, caso o cenário de luta contra pandemia não evolua.

Publicidade
Publicidade
Publicidade