in

Caso Ronaldinho: mais uma pessoa é presa e tudo se complica

A polícia do Paraguai segue trabalhando no caso Ronaldinho. O ex-jogador do Barcelona e da seleção brasileira está preso no país vizinho ao Brasil desde o dia 6 de março. Dois dias antes, Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, haviam sido com cédulas de identidade e passaportes falsos.

Publicidade

Os brasileiros ficaram 32 dias detidos na Agrupación Especializada de Assunção, presídio da capital do Paraguai que abriga integrantes do crime organizado e ex-policiais presos. Os Ronaldinho e Assis conviveram com estes presidiários no período em que estiveram atrás das grades.

Polícia do Paraguai prende mais um envolvido

Por portarem documentos falsos, Ronaldinho e Assis foram para a cadeia e ficaram por lá até o dia 7 de abril, quando seus advogados conseguiram na Justiça o direito à prisão domiciliar. Atualmente, os dois estão em hotel de Assunção e são acompanhados por seus advogados e pela polícia.

Publicidade

Nesta segunda-feira (20), a polícia do país prendeu Wilson Arellano. Ele é filho de um funcionário público que trabalha no departamento de migração do país e está sendo acusado de envolvimento na produção das cédulas de identidade e passaportes. Os documentos tinham números verdadeiros, mas que são de duas mulheres.

Publicidade

Arellano teria participação no crime

O Ministério Público do Paraguai acredita que Arellano seja um dos responsáveis por tramitar os documentos falsos que chegaram até os irmãos brasileiros. Ele teria ligação com a empresária Dalia López, responsável por levar Ronaldinho ao Paraguai para participar de um evento beneficente. Ela segue foragida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!