in

Ronaldinho Gaúcho quebra o silêncio a fala sobre prisão no Paraguai

Detido no Paraguai há quase dois meses por conta de documentos falsos, o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho quebrou o silêncio e deu sua primeira entrevista para falar sobre o caso. Em matéria publicada nesta segunda-feira (27) pelo jornal ABC Color, o Bruxo contou como foi sua reação diante do caso e como tem sido a sua rotina na prisão domiciliar.

Publicidade

Após 32 dias detidos no Agrupación Especializada da Polícia Nacional do Paraguai, Ronaldinho Gaúcho e Assis conseguiram a liberação para serem transferidos ao regime domiciliar. Desde o início do mês, a dupla está no Hotel Palmaroga, em Assunção.

“Ficamos totalmente surpreendidos ao saber que os documentos não eram legais. Desde que isso aconteceu, nossa intenção foi colaborar com a Justiça para esclarecer isso. Até hoje, explicamos tudo e facilitamos tudo o que a Justiça nos solicitou”, disse o ex-jogador.

Publicidade

Confiança e desejo

Ainda no papo com o ABC Color, Ronaldinho Gaúcho se mostrou tranquilo e confiante em sua inocência no caso, e afirmou que espera sair dessa situação incômoda o mais rápido possível. O Bruxo ainda revelou o que quer fazer quando todo o “pesadelo” acabar.
 

Publicidade

“A primeira coisa que farei é dar um beijo na minha mãe”. Segundo o ex-jogador, a sua mãe vive “dias difíceis” desde o início da pandemia do coronavírus.

Publicidade

Detidos desde o dia 7 de março, Ronaldinho e Assis seguem sem previsão fixa de deixar o Paraguai. A dupla terá que ficar em prisão domiciliar até o término da investigação. 

Mesmo estando preso, o Bruxo já apareceu em duas lives beneficentes de grupos de pagode, fatos que agitaram os internautas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade