in

Caso Ronaldinho: investigação complica e outros crimes estão na mira; ‘possíveis conexões’

Ronaldinho e seu irmão e empresário, Roberto Assis, seguem presos no Paraguai. Os dois estão em um hotel do centro histórico de Assunção, capital do país, desde o dia 7 de abril, quando a Justiça autorizou que os irmãos fossem enviados para a prisão domiciliar depois de 32 dias atrás das grades.

Publicidade

Ronaldinho e Assis chegaram ao Paraguai no dia 4 de março, foram detidos com cédulas de identidade e passaportes falsos e dois dias depois acaram presos. Eles foram encaminhados à Agrupación Especializada, presídio de segurança máxima que abriga policiais que se envolveram com o crime.

Investigações podem complicar situação do ex-craque do Barcelona

Ronaldinho passou o aniversário do filho e o próprio aniversário na cadeia. A defesa dos brasileiros tenta autorização para que eles voltem ao Brasil. As investigações continuam e as declarações do fiscal Marcelo Pecci, do Ministério Público, em entrevista à TV ABC Color, mostra que a situação não é nada fácil.

Publicidade

“A investigação é mais ampla porque seguimos analisando possíveis conexões com outros feitos puníveis de conteúdo patrimonial que eles poderiam cometer aqui”, explicou o fiscal. Em outras palavras, as investigações analisa possíveis conexões com outros crimes, como lavagem de dinheiro.

Publicidade

Pena pode chegar a até 10 anos

O uso de documentos falsos pode render cinco anos de prisão no Paraguai. Já a lavagem de dinheiro pode dar até 10 anos de cadeia. A defesa de Ronaldinho e de Assis segue ligada no processo. Sérgio Queiroz é o advogado dos irmãos. Ele está acompanhando o caso de perto no Paraguai.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!