in

Caso Ronaldinho: ex-craque vive um pesadelo que não tem fim no Paraguai

Ex-craque do futebol mundial, com passagens gloriosas pela seleção brasileira, Barcelona e Atlético-MG, Ronaldinho segue preso no Paraguai. A história do jogador no país vizinho ao Brasil mais parece um filme de terror que dura mais de 70 dias e parece estar longe do fim.

Publicidade

Ronaldinho e seu irmão e empresário, Roberto Assis, viajaram para o Paraguai no dia 4 de março. Ao desembarcarem em Assunção, receberam cédulas de identidade e passaportes falsos. Os documentos tinham números verdadeiros, mas pertenciam a duas mulheres.

Ronaldinho e Assis ficaram 32 dias presos

Entre o dia 6 de março, quando foram presos, e o dia 7 de abril, quando a Justiça autorizou a ida para a prisão domiciliar, os irmãos brasileiros passaram 32 dias atrás das grades na Agrupación Especializada, em Assunção. O presídio abriga policiais que cometeram crimes,

Publicidade

Na estadia no local, Ronaldinho jogou futebol de salão e futevôlei para passar o tempo, além de ter gravado um vídeo para a família de um dos colegas de prisão. Desde o dia 7 de abril, Ronaldinho e Assis estão cumprindo prisão domiciliar, em um hotel de Assunção.

Publicidade

Ronaldinho não sabe quando deixará prisão

A grande pergunta a cerca da prisão de Ronaldinho é quando ele vai poder voltar ao Brasil. A resposta de momento é simples e direta: não há ideia. Não se sabe quando – e se – a Justiça paraguaia vai autorizar um retorno ao Brasil. A investigação segue. Dalia López, empresária que levou Ronaldinho ao país, continua foragida. A defesa dos brasileiros entrou com pedido de soltura, mas até agora não houve resposta.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!