in

Bolsonaro x Doria: como o futebol de SP foi afetado por briga política

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) e o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) são inimigos políticos e essa disputa teria sido levada também para dentro do futebol, de acordo com o colunista Cosme Rímoli, do R7. O embate entre os políticos ficou ainda mais claro após o início da pandemia do novo coronavírus.

Publicidade

Bolsonaro é um dos entusiastas da volta do futebol em todo o Brasil. O presidente defende que as competições retornem e deve ter ficado feliz com o jogo entre Bangu e Flamengo, marcado às 21h desta quinta-feira (18). O jogo marca a Volta do futebol no Brasil depois de mais de três meses.

Doria define data de volta dos treinos para os times de SP

O governador de São Paulo anunciou que os clubes de futebol poderão voltar a treinar. Diferente do que diretorias dos grandes do estado esperavam, o retorno foi autorizado apenas para o dia 1º de julho. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo esperavam que tudo voltasse ao normal no dia 22.

Publicidade

De acordo com Cosme Rímoli, a decisão de Doria tem apenas um objetivo. “Marcar posição. E absolutamente contrária a do presidente Jair Bolsonaro”, escreveu em seu blog no R7. A posição oficial do governo de São Paulo é que a curva de Covid-19 está alta.

Publicidade

Clubes devem treinar antes da volta do futebol

De acordo com Rímoli, os preparados físicos das equipes querem pelo menos três semanas de trabalhos até o retorno. Os jogadores estão sem jogar há mais de três meses. Isso faz toda diferença na preparação física. O Flamengo, que volta a campo hoje, treinou por cinco semanas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!