in

Treinador Renê morre vítima da Covid-19 e perda causa forte comoção

O futebol brasileiro está de luto. Morreu, nesta quarta-feira (16), mais um treinador. Renê Carmo Kreutz Weber, conhecido como Renê Weber, morreu aos 59 anos, vítima da Covid-19. Ele é o segundo treinador a morrer nesta semana. Marcelo Veiga, com passagem histórica pelo Bragantino, também faleceu em decorrência da doença.

Publicidade

Renê Weber nasceu no Rio Grande do Sul, em 1961. Ao longo da carreira, rodou o Brasil. Antes de ser treinador, atuou no Internacional, Fluminense e América-RJ. O melhor momento do meio-campista foi no Tricolor das Laranjeiras, onde conquistou os Campeonatos Cariocas de 1983 a 1985, além do Campeonato Brasileiro de 1984.

Depois de pendurar as chuteiras, Renê passou a atuar como treinador ou auxiliar técnico. Ele trabalhou bastante tempo ao lado de Paulo Autuori. Em 1995, ele era o auxiliar de Autuori no Botafogo campeão brasileiro.

Publicidade

Entre 2002 e 2015, atuou em diversas equipes do Brasil e do mundo. Por aqui, foi auxiliar nos gigantes Grêmio (2009), Vasco da Gama (2013), São Paulo (2013) e AtléticoMG (2014). Também treinou o América-RJ, Criciúma, Vila Nova, Caxias, Figueirense, Anapolina e Nova Iguaçu, em 2015, eu seu último trabalho.

Publicidade

Fora do Brasil, Renê Weber comandou o Sporting Cristal, do Peru; e o Al Shabab, Dos Emirados Árabes. Na equipe do Emirados ele trabalhou entre 2006 e 2007 e também 2011. A morte de Renê Weber repercutiu nas redes sociais e clubes se manifestaram sobre o falecimento. Ele era muito querido por onde passou e recebeu as homenagens merecidas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!