in

Renato Gaúcho e Kannemann se estranham, empresário alfineta treinador e ‘rixa’ vem à tona

Embora houvesse uma grande expectativa do torcedor do Grêmio em ver Walter Kannemann em campo no duelo decisivo contra o Santos, o defensor argentino amargou banco os 90 minutos na dolorosa eliminação na Libertadores. A explicação do Tricolor pela não presença do jogador, no entanto, acabou não agradando. Segundo o clube, Kannemann ainda apresentava um nível elevado de desgaste muscular.

Publicidade

Nos bastidores do clube, o fato de Kannemann ficar na reserva não foi bem digerido pelo atleta e seu staff. Quatro dias antes do embate pela Libertadores, o jogador argentino atuou contra o Goiás, pelo Brasileirão. Identificado com o torcedor gremista e símbolo de garra, esperava-se que o defensor atuasse contra o Peixe. Segundo o empresário do atleta, Kannemann queria e tinha totais condições de jogar.

Esta versão foi contada pelo jornalista Alex Bagé, do programa Os Donos da Bola, da TV Bandeirantes, em Porto Alegre. De acordo com o repórter há uma “rixa” entre Kannemann e Renato Gaúcho, que acabou escalando David Braz na zaga sob a justificativa de decisão técnica. 

Publicidade

O substituto, por sua vez, não foi o grande vilão da eliminação Tricolor, mas teve parcela de culpa em alguns lances da partida. 

Publicidade

Joga ou não?

Neste sábado (19), às 19h (de Brasília), o Grêmio visita o Sport, na Ilha do Retiro. Para este embate, Walter Kannemann chegou a viajar com a delegação do Imortal, mas ainda há certeza que ele figure entre os titulares. Por conta do primeiro duelo decisivo diante do São Paulo pela Copa do Brasil, marcado para a próxima quarta (23), Renato Gaúcho deve promover uma formação mista, mesclando titulares e reservas. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade