in

Mercado da bola: atacante em baixa no Grêmio pode ser moeda de troca em negócio por meia; detalhes vem à tona

Os rumores do mercado da bola estão a todo vapor no futebol brasileiro. Apesar do cenário de crise econômica por conta da pandemia do coronavírus, alguns gigantes do cenário nacional têm se movimentado na busca por reforços pontuais. 

Publicidade

Com a permanência do técnico Renato Gaúcho garantida, a diretoria do Imortal, chefiada pelo presidente Romildo Bolzan busca nomes de peso para compor o elenco na temporada 2021, criando grandes expectativas aos torcedores. 

Em promessas recentes, Romildo afirmou que pode contratar, no mínimo, três jogadores de qualidade e referência para o setor ofensivo. 

Publicidade

“O Grêmio pretende trazer três ou quatro jogadores, com nível de titularidade. Pretendemos fazer essa complementação nas posições que achamos que temos que reforçar. Elas passam pelo meio de campo e pelo ataque”, afirmou o mandatário na oportunidade.

Publicidade

Possível troca

Em baixa no Tricolor dos Pampas, o atacante Diego Churín pode ser utilizado como moeda de troca em uma negociação envolvendo um dos alvos do Grêmio: o meia paraguaio Mathias Villasanti, revelado pelas categorias de base do Cerro Porteño. Curiosamente, Churín, que até o momento não deslanchou com a camisa do Imortal, veio justamente da equipe paraguaia.

Publicidade

Depois de despontar para o futebol no Cerro, Villasanti acumulou passagens pelo Temperley, da Argentina, e Sportivo Luqueño, do Paraguai. Todo o bom momento vivenciado do meia, culminou em sua convocação para a seleção do Paraguai na disputa dos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo,

Versátil, Villasanti pode atuar tanto como um volante que tem a facilidade para ir jogando, tanto como um meia centralizado, que ajuda na construção de jogadas. Se acaso a negociação envolvendo Borré evolua, a tendência é que Churín seja mesmo negociado pelo Tricolor. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade