in

Romildo vai deixar o Grêmio por ‘cargo maior’? Presidente responde na lata

Lucas Uebel / Grêmio

Romildo Bolzan assumiu o comando do Grêmio em 2014. Naquela eleição, ele foi apoiado por um grande figurão do clube, Fábio Koff. O Imortal Tricolor vinha de um jejum de mais de uma década de conquistas nacionais – a última taça havia sido a Copa do Brasil de 2001.

Publicidade

Romildo assumiu, acertou o clube e as conquistas apareceram. Em 2016, já sob o comando de Renato Portaluppi, o Grêmio conquistou a Copa do Brasil. No ano seguinte, venceu a Copa Libertadores da América. Em 2018, faturou a Recopa Sul-Americana.

Hoje, o presidente do Grêmio é uma das figuras mais populares do Rio Grande Sul e seu nome vem sendo ventilado como possível candidato a governador nas eleições de 2022. Mas será que Romildo vai se candidatar ao cargo eletivo? Para isso, ele teria que deixar o Grêmio antes do fim de seu mandato atual.

Publicidade

A Rádio Bandeirantes de Porto Alegre, o presidente do clube gaúcho respondeu de forma direita. “Não há nenhuma hipótese. Enquanto eu estiver no Grêmio, não irei concorrer a nada. Assumi um compromisso com o presidente Fábio Koff de não concorrer a cargo eletivo enquanto estivesse no Grêmio”, afirmou Romildo Bolzan.

Publicidade

O mandatário do Tricolor também afirmou que é um homem político e que tem partido. Antes de entrar no futebol, Romildo foi prefeito da cidade de Osório, no Rio Grande do Sul, entre 1993 e 1997 e 2005 e 2013. A resposta dá indícios de que no futuro ele pode concorrer a algum cargo novamente. No momento, o foco é o Grêmio. Os torcedores agradecem. Os resultados do Imortal Tricolor têm sido bons.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!