in

Rompendo fronteiras: jovens do Agreste Pernambucano embarcam para testes em clube da Série A do Brasileirão

Foto: Cido Vieira

No país do futebol, um dos grandes sonhos dos jovens que se colocam na luta árdua da concorrida estrada do esporte é a busca pela profissionalização para conseguir o sustento da família. Aliar a realização financeira e pessoal aparece como combinação fascinante, mas para isso, é preciso galgar inúmeras etapas, superar adversidades, medos e, principalmente: mostrar potencial.

Publicidade

Focados em contornar todos estes cenários, três jovens integrantes de uma escolinha de futebol na cidade de Cupira, no Agreste Pernambucano, estão de malas prontas para o maior desafio de suas vidas no pleito pelo sonho de se tornarem atletas profissionais.

No final deste mês, Guilherme Henrique e Juninho, ambos de 16 anos, e Maia, de 18 anos, embarcarão para Caxias do Sul, município gaúcho, onde serão submetidos a testes por duas semanas no Esporte Clube Juventude, equipe de tradição no cenário nacional, que está de volta à elite do futebol brasileiro nesta temporada.

Publicidade

A ação que levará os garotos até o Sul do país tem como intermediário o formador dos jogadores, Josival Morais, o Lila, e uma empresa brasiliense, a Eventos Brasilis. O caminho proporcionado pela parceria, até então, era inédito no município do Agreste de Pernambuco, e é visto com bons olhos.

Publicidade

Superação é a palavra

Acostumados a temperaturas altas no Agreste Pernambucano e de outras cidades do Nordeste onde já tiveram experiências de testes, os jovens classificam de forma unânime, o frio como mais um desafio a ser superado na árdua caminhada que marcará a trajetória deles no anseio de alcançar o grande sonho, o fico na cidade de Caxias, mesmo que a distância de 3.486 km traga fortes lembranças da família e da terra natal.

Publicidade

“Tem que ir preparado para tudo e superar isso”, resume Juninho. O jovem, que atua como lateral-direito, a exemplo dos outros dois amigos que estarão na viagem rumo à Caxias, iniciou com Lila na escolinha em Cupira desde sua infância e tem como principal inspiração no futebol o atacante Neymar. Determinado, ele enfatiza que o grande objetivo é se tornar o primeiro membro da família a trilhar passos no futebol.

Experiência ímpar

Meia-atacante, o jovem Guilherme Henrique não viajará na mesma data dos defensores Juninho e Maia, uma vez que em virtude da pandemia, os testes estão sendo setorizados por questões de protocolos, contudo, o adolescente sabe que a oportunidade é preciosíssima para demonstrar seu talento.

“Uma boa experiência, sair no mundo. A gente tem que ir acostumando e chegar para ficar”, destaca o jogador de 16 anos, que já acumulou testes no Porto, de Caruaru, Sport, além do Treze, da Paraíba.

Ao mestre com carinho

Mais velho e extrovertido do trio, o goleiro Maia é o único do trio que não reside em Cupira. Natural de Lagoa dos Gatos, cidade vizinha, o jovem de 18 anos já percorreu caminhos mais distantes no comparativo com outros dois amigos, tendo ido à capital federal fazer testes, além de percorrer os estados de Alagoas e Paraíba em busca dos seus objetivos.

Quando dava seus primeiros passos no sonho de se tornar um atleta, Maia sofreu um duro golpe: perdeu o pai, um dos seus maiores incentivadores. O seu mestre, inclusive, estimulava o filho a se tornar goleiro. E é justamente carregando consigo a lembrança viva do pai que ele se fortalece em busca de um “lugar ao sol” no futebol.

“Meu pai antes de falecer sempre me incentivou a isso, a correr atrás dos meus sonhos e nunca me envolver com coisa errada”, detalha Maia em tom emocionado.

Além de Neymar, Maia tem como inspirações no futebol dois atletas de sua posição, Cassio, do Corinthians, e Ederson, do Manchester City.

Abertura de portas

Perseverança. Esta palavra ocupa um dos primeiros lugares no vocabulário de Josivaldo, o Lila. Trabalhando com futebol há cerca de 30 anos na cidade de Cupira, ele já se deparou e até os tempos atuais encontra grandes adversidades na caminhada para transformar sonhos de jovens talentos em realidade.

Apesar da falta de um incentivo maior, Lila nunca baixou a guarda e busca através do seu trabalho árduo e incansável que jovens como Guilherme, Maia e Juninho possam atravessar o país para representar o Cupira e ter a esperada chance de mostrar potencial.

Para Lila, esta ação inédita oportunizada por meio da Eventos Brasilis simboliza uma abertura de caminho para que jovens da região despertem ainda mais interesse e se inspirem nestes garotos que vão viajar quase 4 mil km.

“Importância muito grande, porque vamos colocar jogadores de Cupira à nível nacional, time de 1ª divisão e vai levar o nome da cidade, algo que nunca tivemos. É como eu falo para os meninos, não podemos desistir, vai demorar, mas um dia a gente chega”, conta o profissional, que já revelou diversos atletas para o cenário do futebol nordestino.

Além do trio que embarcará rumo à Caxias, a parceria com a empresa brasiliense será ainda mais intensificada com a ida de outros três jogadores para o Espírito Santo no próximo mês.

Publicidade
Publicidade
Publicidade