in

Rogério Caboclo, presidente da CBF, é afastado do cargo

Reprodução/GE

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo temporariamente pelo Conselho de Ética da CBF. A decisão foi tomada neste domingo pelo Conselho de Ética, após o site da Globo tornar público que uma funcionária da entidade de futebol teria acusado Rogério Caboclo de assédio moral e sexual, acusações que ele nega.

Publicidade

Quem assume o cargo temporariamente é o vice presidente mais velho, Antônio Carlos Nunes. Foi convocado um reunião entre os diretores e vice-presidentes para a manhã desta segunda-feira (07/06) no Rio de Janeiro.

A denúncia de Rogério Caboclo

A denúncia que foi feita por um funcionária da CBF, detalha situações em que o presidente tinha sucessivos comportamentos abusivos, como perguntas de baixo calão e pedidos para comer um biscoito de cachorro, referindo-se a ela como “cadela”. A funcionária relata inclusive, consumo de álcool durante o expediente, onde ela era obrigada a acobertá-lo e esconder as garrafas vazias no fim. 

Publicidade

Pressão para renúncia

Rogério Caboclo vinha sendo pressionado por diversos dirigentes da confederação e patrocinadores da CBF à renunciar, devido à grande publicidade negativa que vinha caindo em cima da entidade devido às atitudes do presidente.

Publicidade

O presidente ‘sai de campo’ no momento mais crítico entre a CBF, Tite e os jogadores devido à possibilidade de motim na Copa América.

Publicidade

Ascenção à Presidência

Rogério Caboclo, o vigésimo presidente da entidade de futebol, foi eleito em 2018, mas só chegando a assumir a presidência em abril de 2019, aos 46 anos. Ele já foi dirigente do São Paulo e teve o início de sua trajetória política apadrinhada por Marco Polo Del Nero.

Publicidade
Publicidade
Publicidade