in

Com saída de Caboclo, Tite e jogar a Copa América viram prioridade na CBF

Divulgação/Lucas Figueiredo + Site Oficial da CBF

A poeira nem abaixou ainda com a saída de Rogério Caboclo da presidência da CBF, e a maior entidade de futebol do país já indica seguir rumo contrário às últimas decisões. Menos de 24 horas foram necessárias para que o primeiro consenso acontecesse na cúpula da CBF, que é manter Tite à frente da seleção e jogar a Copa América.

Publicidade

Com trabalho muito bem avaliado, Tite possuiu apoio unânime e declarado de todos os jogadores da seleção brasileiro. Além da cúpula da CBF e dos dirigentes com ascendência sobre o presidente interino da CBF, Antonio Carlos Nunes, considerarem correto todo o seu comportamento ao longo da semana marcada por dúvidas e crises.

Prazo apertado para Copa

Além de toda a crise que envolveria uma troca de técnico da seleção tão perto da Copa América e durante as Eliminatórias da Copa do mundo, a cúpula da CBF acredita que a continuidade do trabalho do técnico Tite é o caminho mais fácil e seguro para conduzir à seleção até a Copa do Mundo de 2022 no Catar.

Publicidade

A CBF também adota o mesmo pensamento referente à seleção feminina de futebol e sua técnica Pia Sundhage.

Publicidade

Copa América no Brasil

Com toda polêmica que tem gerado à realização da Copa América no Brasil, a “nova” CBF já trabalha para garantir a realização da competição no país, considerando que a entidade deve manter boas relações com o Palácio do Planalto, com a Conmebol e com as demais federações de futebol no continente sul-americano.

Publicidade

No sábado 06/06, foi realizado uma reunião com a presença dos dirigentes da Conmebol e participação do presidente Jair Bolsonaro, que demonstrou total apoio à competição. A permanência de Tite seria fundamental para convencer os jogadores a jogarem a Copa América.

Publicidade
Publicidade
Publicidade