in

Grêmio nega que tenha ‘rebaixado’ jovens no elenco

Segundo a direção do Grêmio, o termo ‘rebaixado’ incomodou internamente e foco era outro

(Lucas Uebel/Grêmio)

O Grêmio vive um momento de críticas oriundas da torcida por algumas decisões da direção e da comissão técnica. Uma delas envolve o “empréstimo” de jogadores jovens ao grupo de transição da equipe, assim como, consequentemente, a preferência por jogadores mais experientes que não proporcionam o resultado esperado pelos torcedores.

Publicidade

Por meio das redes sociais, a torcida chegou a levantar uma hashtag em protesto às decisões da direção. O termo “Juntos Pela Base” chegou aos trending topics do Twitter e chegou até à direção, que se incomodou com o termo sobretudo utilizado pela imprensa.

Termo incomoda direção do Grêmio

Segundo o repórter João Batista Filho, em seu canal no YouTube, o Grêmio se incomodou com o termo “rebaixado” utilizado pela imprensa para designar o uso de Fernando Henrique, Guilherme Guedes e Pedro Lucas no grupo de transição. Na visão da direção, o termo “rebaixamento” dos meninos não foi o mais adequado, visto que o objetivo era o de dar ritmo de jogo aos jovens jogadores para que voltasse ao profissional prontos para jogarem.

Publicidade

Em tom de crítica, o vice-presidente de futebol, Marcos Herrmann, em entrevista à rádio Grenal, criticou a postura da imprensa na avaliação da designação dos meninos à base. “Eles precisam de ritmo de jogo, estavam sem jogar a algum tempo. Não existe isso que estão falando que eles foram rebaixados para a transição“, disse Herrmann.

Publicidade

De acordo com a direção, a ideia da transição é dar ritmo de jogo e continuidade de trabalho à base para estarem plenamente prontos para atuarem pelo profissional.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade