in

Pretendido por São Paulo e Grêmio, Borré já tem destino definido

O atacante colombiano quase acertou com São Paulo e Grêmio, mas clubes acabaram desistindo da contratação.

Radar Esporte/ TNT Sports

Uma novela tomou conta do futebol brasileiro em meados de março e abril deste ano. O centroavante Santos Borré, destaque do River Plate nos últimos anos, estava com o contrato prestes a expirar com os Millonarios. Marcado para junho, o fim do contrato de Borré com o River abria espaço para qualquer clube brasileiro contratar o jogador sem a necessidade de pagar uma multa pelo atleta.

Publicidade

O interesse, então, cresceu. O primeiro a negociar com o jogador foi o Palmeiras, paralelo ao São Paulo, que acabaram se assustando com as cifras pedidas pelo jogador. O Grêmio, porém, foi mais além e fez uma oferta tentadora ao atacante, que demorou a responder e fez o clube gaúcho desistir. Informações dão conta de uma oferta em luvas no valor de US$ 6 milhões (R$ 34 milhões à época) e salário na casa dos R$ 900 mil.

Borré decide seu futuro 

Depois que o Grêmio deixou a jogada, Borré caiu de produção vertiginosamente e chegou a parar no banco de reservas do River Plate. Ainda sem contrato e sem destino, o centroavante, que mirava grandes clubes na Europa, viu os interessados diminuírem e o interesse do São Paulo aumentar novamente. Contudo, uma nova pedida salarial elevada afastou o jogador do Morumbi mais uma vez.

Publicidade

Sondagens de equipes menores da Inglaterra apareceram, mas nada que brilhassem os olhos do centroavante colombiano que almejava ainda mais. Assim, sem destino definido, o provável é que o atleta realmente permaneça no River Plate.

Publicidade

O atual presidente dos Millonarios, Rodolfo D’Onofrio, afirmou que o clube aguardará o fim do contrato do jogador para iniciar a negociação de um novo vínculo. Na Argentina, o salário de Borré não passa dos R$ 400 mil mensais.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade