in

Grêmio admite queda e problemas após saída de ídolo: ‘Daria uma piorada’

Segundo o dirigente Duda Kroeff, o Grêmio sentiu a saída do ex-técnico Renato Portaluppi.

(Lucas Uebel/Grêmio)

Em um momento conturbado e desconhecido nos últimos anos, o Grêmio vive uma turbulência sob comando do técnico Tiago Nunes. Com a saída de Renato Portaluppi, tudo aparentava estar nos conformes, com uma ótima sequência de vitórias do Grêmio sob o comando do novo treinador e um estilo de jogo mais agressivo.

Publicidade

Entretanto, o início ruim no Brasileirão e os tropeços recentes acabaram provocando instabilidade no elenco e no clube. A relação com a torcida estremeceu com as rodadas em sequência na lanterna e a assombração do fantasma do rebaixamento.

Grêmio assume que Renato era pilar no clube

Atualmente, a principal pauta de discussão da torcida é a troca de treinadores. A saída do técnico Renato mexeu com o ambiente Tricolor e o nome do ídolo foi lembrado durante os protestos que tomaram conta do CT Luiz Carvalho ao longo da última semana.

Publicidade

Mesmo com as conquistas da Recopa Gaúcha sobre o Santa Cruz e do Campeonato Gaúcho diante do maior rival, o clima de tensão tomou conta do vestiário, sobretudo com os testes de fogo no Brasileirão. As partidas contra o Ceará e o Athletico-PR mostraram um Grêmio irreconhecível, o que foi reconhecido pela diretoria.

Publicidade

Duda Kroeff, vice-presidente do clube gaúcho, em entrevista a Rádio Bandeirantes, reconheceu o mau momento e creditou à difícil tarefa de substituir Renato Portaluppi no comando do vestiário. “Eu tenho a impressão que a saída do Renato causou, não digo trauma, mas uma certa estranheza. Eu sabia que quando ele saísse o Grêmio ia dar uma piorada, mas não estar na lanterna”, comentou Duda.

Publicidade

O Grêmio enfrenta o Atlético-GO neste domingo (4), às 20h30, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro 2021.

Publicidade
Publicidade
Publicidade