in

Grêmio recebe sondagens de clubes brasileiros por promessa da base

Com a volta à equipe de transição, promessa do Grêmio é sondada por clubes rivais.

(Lucas Uebel/Grêmio)

O Grêmio decidiu devolver o meia-atacante Pedro Lucas, de 19 anos, para a equipe de transição. Joia da base, o jogador é visto como um atleta técnico, de grande qualidade e futuro promissor. Contudo, Pedro Lucas ainda não figura nas listas de relacionados do Grêmio para a equipe principal, o que tem sido motivo de questionamentos de especialistas, críticas da torcida e sondagens de rivais.

Publicidade

Com o rebaixamento ao time de transição, o Grêmio viu as sondagens pela promessa aumentarem. Os contatos não chegam a evoluir, rechaçados pela direção de imediato, mas prometem se intensificar com a reta final de ano se aproximando.

Pedro Lucas recebe sondagens de rivais do Grêmio

Dois rivais do Grêmio, Athletico-PR e Palmeiras, mostraram interesse em contar com o jogador. Inicialmente, a proposta previa empréstimo pago com opção de compra fixada. As negociações travaram, visto que o Grêmio só aceitaria emprestar Pedro Lucas em caso de não haver valor fixado para venda.

Publicidade

Nos bastidores do Tricolor gaúcho há o entendimento de que Pedro é um potencial titular no time de cima. Emprestá-lo com o passe fixado seria um risco ao investimento feito pelo clube ao longo de anos no jogador.

Publicidade

Vale lembrar que, há cerca de um mês, o Globoesporte.com apurou o descontentamento de Pedro Lucas com o rebaixamento à equipe de transição e a vontade de deixar o Grêmio. Destaque no time de transição, o meia-atacante é visto como uma joia a ser lapidada, principalmente na parte física.

Publicidade

Isso porque, segundo avaliação interna do clube, há um déficit físico detectado, o que faz de Pedro ter pouca potência física e baixa força. O jogador já faz trabalhos focados de musculação e suplementação nutricional com acompanhamento diário do clube.

Com contrato renovado em novembro, Pedro Lucas tem acordo firmado com o Grêmio até 2024, com multa de 50 milhões de euros (R$ 314 milhões).

Publicidade
Publicidade
Publicidade