in

Felipão sob risco? Grêmio tem ‘clima bélico’ e antigo treinador vira sombra para o cargo, diz jornalista

Sem unanimidade entre os jogadores, Felipão vive momento de risco no cargo e ganha sombra no mercado.

(Lucas Uebel/Grêmio/Fotomontagem/Mateus Guimarães)

O Grêmio vive uma semana desconfortável após a derrota para o Corinthians, em casa, pela 18ª rodada do Brasileirão. Com uma vitória, o clube gaúcho poderia deixar o Z-4 e assim respirar na competição. O revés, no entanto, gerou ainda mais desconforto nos bastidores, que agora pegam fogo com atritos internos. 

Publicidade

Vagner Martins, da Bandeirantes, que cobre a dupla GreNal de perto, chegou a informar, após a partida contra o Corinthians, na rádio, que o vice-presidente de futebol, Marcos Herrmann, havia passado mal, precisou aferir a pressão e acabou pedindo demissão do cargo.

Minutos depois à informação de Vagner Martins, a assessoria de imprensa do Grêmio veio a público negar que o dirigente tenha pedido para sair, confirmando que Herrmann se mantém no cargo. 

Publicidade

Grêmio tem ‘ambiente bélico’ e Felipão ganha sombra, diz jornalista

Ainda segundo Vagner Martins, o ambiente interno do Grêmio é de hostilidade e “bélico”, como ele mesmo afirma. Internamente, Felipão não é unanimidade entre os jogadores e o risco de cair, embora seja pequeno, existe, de acordo com o jornalista. Vagner Martins reforçou, no entanto, que a diretoria enxerga o trabalho de Felipão como de recuperação no Campeonato Brasileiro, mas será preciso avaliar de perto o desempenho contra o Ceará.

Publicidade

A demissão de Roger Machado no comando do Fluminense cresceu o olho de alguns membros da diretoria, criando assim uma sombra do treinador a Felipão. Embora nenhum contato oficial tenha sido feito, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, já declarou por inúmeras vezes a admiração que nutre por Roger. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade