in

Cristiano Ronaldo mais atacado que nunca: agora é Dybala e Sarri

Cristiano Ronaldo está no meio de uma polémica na Juventus. O craque português não está vivendo seu melhor momento na carreira e estão se somando os sinais de descontentamento. Por um lado, o jogador não está apresentando números tão bons quanto antes, em sua carreira, mas pior que isso, seria sua última reação de desagrado perante uma decisão do treinador. Nas últimas duas partidas, Maurizio Sarri decidiu tirar o jogador do gramado, mandando entrar Paulo Dybala em seu lugar. 

Publicidade

A verdade é que nas duas partidas, contra o Lokomotiv de Moscou e contra o Milan, a Juve estava empatando quando Ronaldo saiu e acabou ganhando os dois jogos. Ainda assim, as reações de descontentamento e até de alguma fúria do craque português estão dando mais que falar que as vitórias do time. 

Dybala não merecia esse gesto de Cristiano Ronaldo

Contra o Milan, foi o agravar de tudo. Ronaldo saiu, nem olhou para Dybala, saindo direto para o vestiário. O jogador nem esperou a partida terminar para ir embora do estádio. Dybala, por sua vez, entrou no jogo e fez o gol da vitória, que Cristiano não viu. 

Publicidade

Beniamino Vignola, antigo meia italiano que representou a Juventus na década de 80, falou que Cristiano não poderia ter desrespeitado Dybala dessa maneira. Em declarações para a Radio Bianconera, o antigo jogador revelou que Dybala não merecia isso, até porque o argentino vem estando sempre do lado de seus companheiros, mesmo após ele ter perdido seu protagonismo, com a chegada de Ronaldo em Turim.

Publicidade

“Ronaldo? Foi um péssimo gesto que nós, que jogámos futebol, podemos entender, mas para a Juventus não é um gesto agradável, especialmente para seus companheiros de equipe. Dybala soube manter o equilíbrio quando as coisas não estavam correndo bem, ele lidou com a chegada de CR7 com grande profissionalismo“, revelou o antigo jogador. 

Publicidade

Ronaldo não insultou Sarri

Cristiano Ronaldo também não cumprimentou Sarri, quando saiu da partida, mas de acordo com especialistas que falaram com o jornal Tuttosport, o português não teria insultado o treinador, como foi falado nos últimos dias.

Realmente, o camisa 7 teria falado, em português, quando abandonava o gramado, mas seria mais um desabafo, por estar chateado com seu desempenho, e não um insulto contra o treinador italiano.

Publicidade
Publicidade
Publicidade